Entrevista: Maestro Billy

MaestroBilly

Na primeira fase do portal, fizemos uma entrevista exclusiva com o Maestro Billy e sua relação com as teclas.

Dj, um dos primeiros podcasters do Brasil, produtor de jingles, vinhetas, trilhas e efeitos. Esse é o Maestro Billy, profissional bastante conhecido, também, por trabalhar no programa “Caldeirão do Huck”.

O Maestro Billy começou a estudar piano desde muito cedo, adora estar informado e é super bem-humorado. Vale muito a pena ler a entrevista que se segue, realizada em 2013. Gentilmente, Billy entrou em assuntos interessantíssimos para aqueles que gostam ou são apaixonados por música. Também falou especificamente sobre teclado e sobre como esse instrumento é fonte de inspiração para ele. Veja a seguir:

Sabemos que, desde os 8 anos, você já estudava piano. Isso já era um prazer para você?
Sim, eu sempre quis tocar algum instrumento, desde criança. O piano apareceu na minha vida por que minha irmã mais velha começou a tocar e me animou a fazer o mesmo. É lógico que tem aquela parte teórica meio chata, ainda mais quando você é criança e já quer sair tocando qualquer coisa, mas hoje em dia reconheço que a teoria foi e é muito importante para o aprendizado.

Você é uma pessoa que costuma ler e ouvir músicas de vários tipos diferentes. Sempre foi assim?
Sempre. Desde criança cresci ouvindo de Beatles à música erudita, passando por MPB, rock, pop, dance, disco music, etc, etc. O que me importava e importa até hoje é o quanto a música me toca. O quanto ela me faz viajar, me emociona. Não importa o ritmo ou o estilo. A música tem que ser legal. Desde o “Funeral de Siegfried” de Wagner até a última do FloRida com a Sia, tudo que é legal eu ouço.

Você sempre está procurando levar o que o público quer ouvir. Por ser um cara antenado e que adora viajar, fica mais fácil se colocar no lugar de diferentes públicos de diferentes ambientes?
É sempre complicado conseguir entender cada público. Por mais que você conheça as músicas que cada um ouve, é muito difícil saber qual o momento certo para cada música. Imagine uma balada sertaneja. Qual o melhor momento para tocar “o” sucesso? É no começo pra chamar o povo pra pista? Ou você constrói a pista lentamente e só entra com o sucesso depois? Para saber isso em cada público, você tem que ver, estudar, conhecer e principalmente testar.

Como você definiria o prazer de tocar teclado?
O teclado, pra mim, sempre foi uma fonte de inspiração. A cada som diferente, surge uma melodia diferente. Tanto que em processos de criação às vezes eu demoro mais achando o timbre perfeito, o som perfeito, para só depois disso criar uma melodia ou um arranjo que fique interessante para aquele timbre. Isso é um prazer muito grande.

Qual a diferença entre o público da tv e o público que ouve o som do Maestro Billy na noite?
O público da TV é imensamente mais complicado do que o público da balada. Na TV você tem que agradar desde o adolescente de São Paulo até aquela senhora que assiste ao programa em Rio Branco no Acre. Tem que fazer um balanço muito bom do que é sucesso, o que é lançamento legal, e o que é do gosto popular. Já na balada, o público é mais restrito, e já vai esperando ouvir certo tipo de som. Não que aquela senhora de Rio Branco não possa ir pra balada, né (risos)?

O que você sugeriria àqueles que estão procurando se aprimorar no teclado e na profissão de músico, de modo geral?
Duas sugestões. Primeira – Pesquisa. Saiba o que está acontecendo, saiba de onde tudo veio, saiba. Conheça, aprofunde-se no que está fazendo.
Segunda (que engloba a primeira e é até mais importante) – ESTUDE. Sempre. Estude. Leia partitura, conheça o instrumento, leia o manual do seu teclado, aperte todos os botões possíveis, faça testes, procure na internet coisas diferentes, sons diferentes, estilos, ritmos, etc. Só estudando é que melhoramos nossa performance.

Você tem alguma grande mensagem àqueles que querem se tornar grandes músicos?
Estudem. Muito. Ouçam os clássicos, ouçam os inovadores. Saibam de onde cada som vem, cada estilo. Procure se aprimorar no seu instrumento. Estude. Sempre.

Comentários
Tecladistas

Tecladistas

Comentários